Segue abaixo um relato fictício que poderia muito bem ser real pois é baseado em vários relatos de pessoas com ansiedade.

“Isso sempre acontece à noite.

As luzes se apagam e minha mente gira. Ela reproduz todas as coisas que eu disse que não saíram do jeito que eu quis dizer. Todas as interações que não foram do jeito que eu pretendia. Isso me bombardeia com pensamentos intrusivos – filmes horríveis dos quais não consigo me afastar, passando repetidamente na minha cabeça.

E se, e se, e se?

Às vezes, fico acordado por horas, a roda de hamster da minha mente se recusando a ceder.

E quando a minha ansiedade está no seu pior momento, muitas vezes me segue até nos meus sonhos. Imagens escuras e distorcidas que parecem assustadoras e reais demais, resultando em sono inquieto e suores noturnos que servem como mais uma prova do meu pânico.

Nada disso é divertido – mas também não é totalmente desconhecido. Eu tenho lidado com ansiedade desde a minha infância e sempre foi pior à noite.

Quando as luzes se apagam, o mundo fica quieto e não há mais distrações a serem encontradas.

Eu pagaria qualquer coisa – daria tudo – por uma chance de escapar disso.

Entendendo o que acontece

Não estou sozinho nisso, pois em nossa sociedade, os indivíduos gastam bilhões para se livrar da ansiedade.

Os sintomas da ansiedade, muitas vezes, podem salvar vidas. Eles nos mantêm alertas ao perigo e garantem a sobrevivência. A ansiedade é basicamente a reação de luta ou fuga do nosso corpo – na prática, é claro.
O problema para aqueles que sofrem de ansiedade é que geralmente não há necessidade de ansiedade. O perigo físico não é real e não há necessidade de lutar ou fugir.

E esse é o meu problema. Minhas preocupações raramente são vida e morte. E, no entanto, eles me mantêm acordado à noite da mesma forma.

Durante o dia, a maioria das pessoas com ansiedade fica distraída e focada nas tarefas. Eles estão sentindo os sintomas da ansiedade, mas têm lugares melhores para aterrissá-los, passando do ponto A ao B e C ao longo do dia.

É assim que vivo a minha vida: mantendo o prato tão cheio que não tenho tempo para ficar com fome. Contanto que eu tenha outra coisa para focar, a ansiedade parece administrável.

Mas quando a ansiedade da noite começa, o corpo muda para seu ritmo circadiano natural.

A luz diminui, a produção de melatonina no corpo aumenta e nosso corpo está nos dizendo para descansar. Mas para alguém que tem ansiedade, é difícil deixar essa superexcitação. Então o corpo está lutando contra esse ritmo circadiano.

Os ataques de pânico ocorrem com a maior frequência entre 1:30 e 3:30. À noite, as coisas costumam ser mais calmas. Há menos estímulo à distração e mais oportunidades de preocupação.

Podemos não ter controle sobre as coisas, e elas geralmente são agravadas pelo fato de a ajuda estar menos disponível à noite.

Afinal, para quem você deve ligar à 1 da manhã quando seu cérebro o coloca em uma maratona de preocupações?

 

A pior parte

Nos momentos mais sombrios da noite, me convenço de que todos que amo me odeiam. Que sou um fracasso no meu trabalho, na paternidade, na vida. Digo a mim mesmo que todo mundo que já me machucou, me deixou, ou que falou mal de mim de alguma forma estava absolutamente certo.

Eu mereci. Eu não sou suficiente. Eu nunca serei.

É isso que minha mente faz comigo.

Eu faço terapia. Eu tomo remédios. Eu tento duramente dormir o suficiente, me exercitar, comer bem e fazer todas as outras coisas que encontrei para ajudar a manter a ansiedade sob controle. E na maioria das vezes, funciona – ou pelo menos funciona melhor do que não fazer nada.

Mas a ansiedade ainda está lá, permanecendo no limite, esperando que algum evento da vida ocorra para que ela possa me fazer questionar tudo o que já soube sobre mim.

E a ansiedade sabe que é à noite que eu estou mais vulnerável.

 

Lutando contra os demônios

Para evitar ter essas noites, a sugestão é desenvolver uma rotina que possa ajudar na transição do dia para a noite.

Isso pode incluir tomar um banho de 15 minutos todas as noites, usar óleos essenciais de lavanda, fazer diário e meditar. Dessa forma, é mais provável que adormeçamos e tenhamos uma qualidade de sono melhor.

Quanto mais trabalho para me cuidar e seguir as rotinas que me ajudam a relaxar, mais fácil minha ansiedade – e até minha ansiedade noturna – é administrada.

 

Existe ajuda

E talvez esse seja o ponto. Cheguei a aceitar que a ansiedade sempre fará parte da minha vida, mas também sei que há coisas que posso fazer para ajudar a mantê-la sob controle.

As pessoas precisam saber que os transtornos de ansiedade são altamente tratáveis. Muitos respondem muito bem ao tratamento com técnicas de psicoterapia, aprendendo a permanecer no momento – não no passado ou no futuro – mesmo sem remédios. Outros podem precisar de remédios para se acalmar o suficiente, e para aprender e se beneficiar das técnicas de terapia.

De qualquer forma, existem métodos e medicamentos disponíveis que podem ajudar.

Quanto a mim, mesmo tendo comprometido 10 anos da minha vida com uma terapia extensiva, há algumas coisas que são realmente difíceis de escapar. É por isso que me esforço ao máximo para ser gentil comigo mesmo – até na parte do meu cérebro que às vezes gosta de me torturar.

Porque eu sou suficiente. Sou forte, confiante e capaz. E estou equipado para lidar com qualquer desafio que surgir no meu caminho. Não importa o que meu cérebro noturno tente me dizer.

Para o registro, você também é. Mas se sua ansiedade o mantém acordado à noite, converse com um médico ou terapeuta. Você merece encontrar alívio, e há opções disponíveis para isso.”